quarta-feira, 12 de outubro de 2011

livros!

Não sei ao certo se é bem o ato de escrever que me consome, ou se é a questão de ver uma prateleira repleta de livros, se é o aroma tão afetado que me entristece. Não importa quanto eu escolha, rode e torne a optar, sempre paro frente a mesma prateleira e fico lá, remoendo meus medos, anseios e desgostos além de observar as capas tão cuidadosamente desenhadas, é nesse interím esdrúxulo que me sinto viva, como se cada página daquelas valesse por mil encarnações!

Nenhum comentário:

Postar um comentário