quarta-feira, 25 de abril de 2012

O constante e rotineiro problema com as pessoas é que elas carregam bagagens todo o tempo. Malas inexoráveis quais vem sendo acumulados com o passar dos anos e tão logo são memórias, são sentimentos, calafrios e espasmos de noites aconchegantes e frias mesclados a sombra de entes quais os novos não querem ver. E eu que tivera sempre a mania de permanecer numa tentativa de crua liberdade, sempre me desfazendo de amarras, me recompondo até encontrar algo substancial a qual pousar simplesmente descompreendia a importância de carregar além da sabedoria; os retalhos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário